Logo CMOS.png

CENTRO DE MEMÓRIA

OPERÁRIA DE SOROCABA - CMOS

O CMOS (Centro de Memória Operária de Sorocaba) é uma iniciativa independente que reúne registros e estudos sobre a classe trabalhadora de Sorocaba e região. Foi construído com o objetivo de aflorar a consciência da história omitida e fomentar ações que fortaleçam a classe popular da cidade.


Nasceu da idealização do historiador Carlos Carvalho Cavalheiro que em 20 de junho de 1998 lançou uma campanha para criação de um Centro de Estudos do Operariado de Sorocaba. Na época o projeto não recebeu respaldo de sindicatos, instituições ou do Poder Público. Em 26 de agosto de 2016, por iniciativa de Flávia Aguilera, que tomou conhecimento do antigo projeto, foi retomado com o nome de Centro de Memória Operária de Sorocaba.


O Centro de Memória Operária de Sorocaba, desde então, tem coletado informações e formado um acervo com depoimentos, imagens, documentos e estudos sobre a memória e a história do operariado de Sorocaba e região.

MEMBROS

Carlos Carvalho Cavalheiro

Nasceu em São Paulo em 1972. Licenciado em História e Pedagogia, Bacharel em Teologia é Mestre em Educação pela UFSCar (Campus Sorocaba). Autor de 30 livros publicados, dentre eles "Salvadora!", "Scenas da Escravidão", "Entre o sereno e os teares", "Memória Operária", "O negro em Porto Feliz", "Nossa Gente Negra". Idealizador da Enciclopedia Sorocabana, da Reabertura do Inquérito sobre o Saci, do Centro de Estudos do Operariado de Sorocaba (atual Centro de Memória Operária de Sorocaba), da FLAUS (Feira de Livros e Autores Sorocabanos) e do Curso de Defesa Pessoal de Capoeira Angola para mulheres (com a orientação técnica do Mestre Jaime Balbino e do professor Luiz Henrique de Souza). Acadêmico correspondente da FEBACLA e membro efetivo da Academia Independente de Letras. Historiador registrado sob nº 317/SP.

Flavia Aguilera

Nasceu em Sorocaba - SP, 1987. É artista visual, trabalha na gestão Feira Beco do Inferno, CMOS- Centro de Memória Operária de Sorocaba e Associação Cultural de Fomento a Arte e a Memória. Junto ao CMOS, pesquisa desde 2016 a história e cultura de trabalhadorxs da região. Desenho, pintura e escultura são as linguagens predominantes de seu trabalho pictórico, que se combina com práticas de pesquisa, escrita, cartografia e arquivo. Como parte de sua contribuição com o CMOS, desde 2014 promove e colabora com iniciativas em diferentes instituições e espaços independentes da cidade entre outras ações culturais de fomento a cultura e memória.

Alexandre H.Vieira de Camargo

Nasceu em 1985, em Sorocaba. É formado em Filosofia pela UNISO, Biblioteconomia pelo Claretiano Centro Universitário, pós em Filosofia Medieval- Patrística e Escolástica pela Universidade São Bento.

Maiara de Proença Bernardino

Graduanda em licenciatura de Geografia na UFSCar Sorocaba. Bolsista de iniciação científica pelo PIBIC/CNPq entre 2019 e 2020. Atualmente é bolsista de iniciação à docência no PIBID/CAPES na mesma instituição

Naara Gonçalves de Alencar

É formada em Licenciatura Plena em Pedagogia pela UFSCar campus Sorocaba e pesquisadora sobre os temas Pedagogia Libertária e Movimento Operário, principalmente. É membro do Grupo de Pesquisa Teorias e Fundamentos da Educação – UFSCar e do Centro de Memória Operária de Sorocaba – CMOS.

Keyla Rosado

Historiadora, mestra em Educação e geógrafa em formação. Desenvolveu pesquisa sobre o jornal "O Operário", tendo foco nas publicações femininas do periódico. É pesquisadora das áreas de Educação, movimento operário, gênero, habitação e território. Atuou como docente do ensino público estadual por 5 anos e atualmente faz parte do IBGE Sorocaba e do CMOS.

Silvio Piovani

Nasceu em Sorocaba, em 1985. É militante do Partido Comunista Brasileiro e da Unidade Classista, corrente sindical vinculada ao PCB, ambos de Sorocaba. Formado em Direito pela FADI e trabalhador do Tribunal de Justiça de SP. Membro da Brigada Solidária de Sorocaba.

Fale conosco

Tel: (15) 98115-1267

Email:  centrodememoriaoperaria@gmail.com

Contribua!

Tem alguma foto, carta, jornal, objeto, ou qualquer outro registro histórico? Entre em contato conosco! Contribua com a preservação da história!

Cadastre-se

Obrigado pelo envio!