• CMOS

A luta antifascista em Sorocaba na década de 1930

Atualizado: Abr 30


Jornal Cruzeiro do Sul, pág. 1, 12 de julho de 1937

A luta antifascista no Brasil coincide com a fundação da Ação Integralista Brasileira,

agremiação de inspiração fascista, surgida em 7 de outubro de 1932 e tendo como chefe nacional o escritor Plínio Salgado. Inspirada no nazifascismo, a Ação Integralista propunha a implantação de um regime autoritário, de partido único, que tivesse como base ideológica o nacionalismo exacerbado e a obediência incontestável ao “chefe”. Os Integralistas eram contrários ao comunismo, à democracia liberal e ao socialismo.


Em resposta ao surgimento do fascismo brasileiro (Integralismo), os anarquistas de São Paulo criaram o Comitê Antifascista em 22 de junho de 1933. Em 1934 é criada a Frente Única Antifascista com a presença de comunistas, stalinistas, trotskistas, socialistas, anarquistas, liberais, tenentistas, enfim, uma gama de tendências contrárias ao fascismo.







O auge da atuação do Comitê Antifascista se deu na chamada “Batalha da Praça da Sé”, em São Paulo, no dia 7 de outubro de 1934. Os integralistas pretendiam realizar uma grande manifestação de força com a presença de milhares de integralistas. Uma comissão do núcleo sorocabano do integralismo compareceu a esse evento. Da mesma forma, antifascistas sorocabanos também estiveram presentes. Os integralistas foram expulsos da praça da Sé que se tornou um verdadeiro campo de batalha, com lutas corpo a corpo e tiros de ambos os lados.


Correio Paulistano, pág. 1, 9 de outubro de 1934

Jornal Cruzeiro do Sul, pág. 4, 29 de abril de 1935

Em 28 de abril de 1935, numa reunião com a presença do tenente-coronel João Cabanas, do escritor Caio Prado Júnior, do jornalista e humorista Aparício Torelli (Barão de Itararé), do deputado Armando Laydner, da professora Peçanha Branco, dentre outros, é fundada em Sorocaba o núcleo da Aliança Libertadora Nacional, organização política que tinha por objetivo reunir elementos da esquerda brasileira, numa frente ampla, com o objetivo de combater o imperialismo europeu e estadunidense, bem como o crescimento do fascismo e do integralismo. Faziam parte do núcleo sorocabano da Aliança Nacional Libertadora o jornalista Hilário Correia, Áureo Nunes Júnior, Góes Filho, Vicente Paulo Oliveira.


Depois de três meses de atuação, a sede local da Aliança Nacional Libertadora foi fechada.


O auge da luta antifascista em Sorocaba ocorreu no dia 11 de julho de 1937, quando um comício integralista na Praça Coronel Fernando Prestes é dissolvido pelos antifascistas sorocabanos. Nesse mesmo ano é fundado em Sorocaba o Centro Cívico Pró-Democracia, cujo objetivo maior é lutar pela manutenção da democracia e combater o fascismo brasileiro.


Carlos Carvalho Cavalheiro

23.03.2021




24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo